Projetos comunitários em Ubatuba e Bragança Paulista avançaram em 2015

22/12/2015

Em Ubatuba e Bragança Paulista, no estado de São Paulo, o Instituto Arcor Brasil apoia três projetos, no âmbito do Fundo Comunidade em Rede (FCR), que tiveram importantes avanços e conquistas em 2015. No total, são 11 projetos apoiados pelo Fundo, em quatro estados. Fortalecer as organizações de base e facilitar a elaboração de projetos territoriais coletivos são objetivos do Fundo Comunidade em Rede, fruto de convênio em parceria entre a Inter American Foundation (IAF) e seis membros do Bloco Brasil da RedEAmérica: Instituto Arcor Brasil, Instituto Holcim, Fundação Otacílio Coser, Fundação Aperam Acesita, Instituto Votorantim e Instituto Camargo Correa.

O Instituto Arcor Brasil é o gestor financeiro do Fundo.

Ubatuba - Cambury e Picinguaba, duas comunidades do litoral de Ubatuba, são os territórios do Projeto “Maré Alta”, também apoiado pelo Instituto Arcor Brasil como parte do Fundo Comunidade em Rede. O Projeto “Maré Alta” tem como proponente a APM da Escola Municipal “Iberê Ananias Pimentel” e como parceiros a Associação dos Moradores do Bairro Picinguaba, Associação de Moradores e Amigos do Cambury, Fundação Pró-Tamar, Instituto Bacuri, Prefeitura de Ubatuba – Escola Municipal “Maria do Carmo Soares” e Secretaria Municipal da Educação. Foram várias reuniões para formar a rede “Maré Alta”, constituída em territórios com forte presença cultura caiçara e com uma natureza exuberante. Todo o município de Ubatuba, praticamente, está localizado em Área de Preservação Ambiental, por abranger uma das maiores proporções de Mata Atlântica preservada no litoral brasileiro.
O município tem 83 mil habitantes. Em função desse perfil social, cultural e ambiental das duas comunidades, o Projeto “Maré Alta” adquiriu uma configuração especial. Ações de educação ambiental, por exemplo, estão sempre presentes no Projeto, assim como oficinas de surf, beneficiando as crianças e adolescentes de Picinguaba e Cambury. Oficinas de futebol, jogos, brincadeiras, contação de histórias e apresentação de filmes na comunidade de Cambury são outras atividades no repertório do projeto.

Atuando em um município com um desenho econômico próprio, com vocação para o turismo e os serviços, as organizações parceiras do “Maré Alta” também identificaram a oportunidade de consolidar uma linha de economia solidária e geração de renda. Essa ação resultou, inclusive, na criação de uma marca de confecção de mulheres da comunidade.

Bragança Paulista – Com 156 mil moradores, Bragança Paulista é um município industrializado com dois projetos apoiados pelo Instituto Arcor Brasil, como parte do Fundo Comunidade em Rede. Um é o Projeto “Fala Comunidade”, que tem como proponente a Associação de Produtores Rurais e dos Moradores dos Bairros do Agudo e da Estiva do Agudo, e como parceiros a Secretaria Municipal de Educação, as Escolas Municipais Rurais Estiva do Agudo e “Profa. Lenar Alvarez Santiago Acedo” e Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer.

No leque de atividades previstas ou já realizadas estão as oficinas de violão, dança, bonecos, vôlei e futebol infanto-juvenil e o Cine Rural, com exibição de filmes para moradores com pouco acesso a essa opção cultural. A qualificação dos espaços escolares existentes nos territórios é um dos propósitos principais do Projeto “Fala Comunidade”.

Atividades de complementação ao processo de ensino e aprendizagem dos alunos e a revitalização da quadra de areia da EM “Professora Lenar” são objetivos importantes nesse sentido. Outro projeto em Bragança Paulista é o “Teia – Ações comunitárias articuladas”, que tem a Fundação Comunidade da Graça como proponente e como parceiros a Secretaria Municipal de Educação, APM da Escola Municipal “Prof.Orlando Pinto de Oliveira”, Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social (Semads), CRAS Santa Libânia, CRAS Águas Claras, CRAS Planejada e CRAS Julio de Mesquita, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI e Posto de Saúde da Família Cidade Jardim. Trata-se, portanto, de uma rede de parceiros mais ampla, com atuação em vários setores sociais. Em função desse formato da rede intersetorial, o Projeto “Teia” abrange outras modalidades de ação.

Entre outras atividades, previstas ou já realizadas, estão oficinas de geração de trabalho e renda, no Posto de Saúde da Família Cidade Jardim, e palestras de temas como gravidez precoce e prevenção a DSTs, violência doméstica e consumo de drogas, no mesmo local e também em escolas. O projeto envolve, igualmente, a adequação do espaço físico da Fundação Comunidade da Graça e Escola Municipal “Prof. Orlando”, e identificação das necessidades da comunidade com apoio das associações, CRAS, posto de saúde e das escolas.

Mais informações: Instituto Arcor Brasil – www.institutoarcor.org.br
José Pedro Soares Martins (MTb 17.572) – Assessoria de Imprensa
(19) 98206.1867 – josepmartins@uol.com.br